domingo, 23 de outubro de 2011

Faça você mesmo

Faça você mesmo. É assim com esse gostinho todo especial que levo a vida, porque quando queremos algo, não há mais ninguém além de nós mesmos que possa querê-lo mais e realizá-lo melhor.

Essa coisa de DIY (Do It Yourself) está presente em minha vida há muitos anos, desde minha infância acompanhava minha mãe nos bordados, os tios na cozinha e os irmãos e colegas da rua nas artimanhas e nas montagens das brincadeiras. Cresci com um espírito de independência que sempre esteve presente nas mais diversas atidudes, desde descobrir o mundo sem ouvir bem os conselhos que  me eram dados até a cozinhar meus próprios lanches desde que tinha 08 anos de idade (nessa época, pra mim não tinha nada melhor do que chegar em casa de tarde e esquentar bem uma panela, colocar alho e sal, colocar arroz já pronto ali e depois comer tudo, dentro da panela mesmo). Foi nessa idade também que aprendi a abrir latas escondida da minha mãe e da Tia Graça pois, elas diziam que era muito perigoso e eu podia me cortar.

Foram carrinhos de rolimã, quadros de ponto cruz, biscoitinhos de maizena, caixas decoradas, capas de caderno, arquivos do Nirvana e muito mais até eu descobrir que o maior DIY da minha vida estava por vir. 

Fui mãe aos 15 anos de idade e quer um "Faça você mesmo" maior do que fazer um filho (mesmo que despretensiosamente) e depois cuidar? Foram muitas manhãs ao som de Simon e Garfunkel bordando as toalhinhas e os quadrinhos que até hoje enfeitam o quarto da minha pequena, hoje prestes a completar 11 anos. Até um livrinho de bolso eu desenhei, bordei e escrevi pra ela. Com as obrigações da maternidade e do estudo, deixei os artesanatos e a cozinha de lado, por muito tempo só cozinhei papinha de bebê.

Tudo isso até que os tsurus me despertassem uma nova paixão. Aprendi tudo sozinha, através de muita observação e entrei de cabeça no mundo do artesanato, por vontade também por necessidade, até de feiras participei mas, só enquanto estive desempregada. Fiz caixas, colares, chaveiros, móbiles, pulseiras, quadros, de tudo um pouco até arrumar um emprego digno e de acordo com o que eu quero dentro da minha área de formação. Devido a mais um acaso (ou seria ironia) do destino, sou publicitária.

Trabalho em uma ONG que desenvolve diferentes tipos de projetos e um deles, na área de artesanato. O Espaço Conviver, junto ao meu novo vício por blogs e um súbito interesse por cupcakes, me fizeram sentir saudade desses tempos de artesanato. Há uns 3 meses, todo tempo que tenho livre, tenho dedicado a projetos pessoais.

Já recebi algumas propostas de trabalhos paralelos, fiz doces pra festas de amigas, decoração para o meu noiversário e muita coisa fofa e gostosa. Tem sido uma fase inspirada que eu espero que não passe nunca. É uma felicidade danada você imaginar uma coisa e ela sair exatamente do jeitinho que você desejou. Os tempos não têm sido dos melhores no trabalho e isso me fez parar para pensar e encontrar novos caminhos, novos rumos e novos planos. E tem tudo dado certo :)
Aniversário da filhota 2011

Noiversário

Treinando

Muffins de amora - Receita inventada

Cupcakes para presente

O DIY, na minha concepção, vai muito além de fazer artesanato ou cozinhar. É um momento de descobertas. de prazer, uma terapia mesmo, onde você se vê e consegue enxergar muita coisa em você mesmo que não enxergava antes. Traz de volta a determinação, a garra e a certeza de que você é bom naquilo que se propõe a fazer, desde que tenha duas coisas básicas: Vontade e Curiosidade!
Decoração

Decoração reaproveitada

Mesa do Noiversário

Decoração

Pompons de papel de seda

O meu grande medo de tornar isso uma profissão é  que isso perca a graça, o charme despretensioso de fazer algo sem obrigação.
Boas vindas do Tonton

Popcakes

Pastelzinho da Primavera - Receita inventada

Colares

Caixas


Isso tudo é muito amor 


Os frutos de um fim de semana chuvoso :)

4 comentários:

  1. Que lindo!!! ue fase gostosa e de resultados tão fofos! tá de parabenssss!

    ResponderExcluir
  2. Amygue, este post descreve perfeitamente o que você é, a alegria de viver, de compartilhar o que há de bom no mundo, a falta de vergonha de ser feliz, os ideias tão bem definidos e a arte de cozinhar tão bem! um bjos

    ResponderExcluir
  3. Vc faz isso com obrigação sim amygue, obrigação de dar alegria as coisas! Não tenha medo de tornar isso uma profissão, vc apenas estará trabalhando com o que gosta e descobrindo outras formas de colocar sua criatividade em prática. Obs: Hj que fui ver esse post rsrsrs...

    ResponderExcluir